Aiche Curitiba

ENTREVISTAIChE

O projeto EntrevistAIChE tem como intuito difundir a carreira profissional dos professores do Departamento de Engenharia Química da UFPR para a comunidade externa e interna. São feitas entrevistas com perguntas que explorem toda a vida acadêmica – desde o início até a atual área de atuação – dos responsáveis pelo ensino técnico dos estudantes. Tais entrevistas são divulgadas nas redes sociais e no site do AIChE Curitiba.

Professora Agnes de Paula Scheer

A querida Professora Tutora Do AIChE Curitiba é a primeira entrevistada. Ela, que é professora do Departamento de Engenharia Química da UFPR há mais de 30 anos, aceitou com muito prazer ser a professora tutora do AIChE Curitiba quando o student de chapter estava sendo fundado em 2016. Confira a entrevista completa no link: https://tinyurl.com/AgnesdePaulaScheer

Engenheira química formada pela UFPR. Mestrado em tecnologia química na área de processos de extrusão em alimentos (UFPR). Doutorado em Engenharia Química na área de adsorção (UNICAMP). Pós-Doutorado na área de processos de separação (University of California, Berkeley). Professora do DEQ UFPR desde 1988. Professora tutora do AIChE Curitiba.

1. Quais matérias você ministra/ministou?

Termodinâmica II, Tecnologia Química Orgânica, Integração II, Integração V,
Operações Unitárias III, Laboratório de Engenharia Química II (Labenge),
Fenômenos de Transporte Experimental I (FenExp), Projetos da Indústria Química II,
Processos de Separação por Membranas (optativa), Processos de Separação
(optativa) e Tratamento de Nafta e Gás.

2. Qual sua área de pesquisa e objetivo?

Emulsões na área de alimentos e petróleo (vários até 2018) e processos de
adsorção e separação por membranas na área de alimentos.

3. Qual o diferencial na sua carreira?

Minha experiência fora do país, com os projetos Brafagri na França, pós-
doutorado em Berkeley e a pesquisa sobre petróleo (área de asfaltenos) com a

Universidade NTNU, em Trondheim da Noruega. Neste projeto aconteciam duas
reuniões internacionais por ano, nas quais foi possível conhecer várias
universidades, laboratórios e pesquisadores, com tudo pago pelo governo
norueguês. Apesar de ser associada à área de alimentos, eu sempre trabalhei na
área de petróleo também. Trabalhei, a partir de 2006, mudando o curso, que era
um curso de tecnologia, para engenharia de alimentos para aproximar da
engenharia química e subir o conceito do curso na CAPES.

4. Qual impacto social da sua pesquisa?

Na pesquisa com a Universidade Trondheim da Noruega seria a formação de
engenheiros com conhecimento na área e você entender
melhor e fazer produzir mais, além de melhorar a parte
de transporte às refinarias e retirada dos poços.

Professora Regina Weinschutz

A segunda entrevistada para o projeto é a Professora Regina Weinschutz. Ela, que foi vice coordenadora até ano passado e é professora do DEQ UFPR desde 1992, faz um trabalho muito importante relacionado ao meio ambiente. Confira a entrevista completa no link: https://tinyurl.com/ReginaWeinschutz

Engenheira química formada pela UFPR.
Mestrado em Tecnologia de Alimentos (UFPR).
Doutorado em Engenharia Química (UNICAMP).
Professora do DEQ UFPR desde 1992.

1. Quais matérias você ministra/ministou?

Integração III, Processos Químicos, Termodinâmica I, Termodinâmica II, Reatores
Homogêneos, Reatores Heterogêneos, Operações Unitárias II, Operações Unitárias
III, Tratamento de Efluentes, Petróleo e Meio Ambiente (optativa) e Projetos da
Indústria Química II.

2. Qual sua área de pesquisa e objetivo?

Minha pesquisa é na área de meio ambiente. Trabalho com gestão ambiental na
avaliação de logística reversa de óleos de cozinha, de plásticos e de baterias de
chumbo. Também trabalho com o desenvolvimento de tecnologia para
descontaminação de solos contaminados com hidrocarbonetos, para o
tratamento de efluentes envolvendo processos oxidativos avançados (POA) e com
compostagem. O principal objetivo é atenuar os problemas causados pela
indústria através do desenvolvendo de tecnologia que minimizem a poluição bem
como a análise da logística necessária para reciclagem de produtos. Tenho dois
alunos de iniciação científica trabalhando no estudo de remediação de solos
contaminados e um aluno de PVA trabalhando no estudo de destintamento de
papel reciclado. No programa de iniciação científica não tenho mais vagas, porém
no PVA aceito mais alunos participando.

3. Qual o diferencial na sua carreira?

Acredito que, como docente, tenho a capacidade e a oportunidade de estar
sempre aprendendo muitas coisas constantemente. Ser professor implica em
estudar o tempo inteiro e isso é ótimo e ser pesquisadora requer também o
conhecimento de diferentes áreas o que amplia o conhecimento.

4. Qual impacto social da sua pesquisa?

Atualmente uma das coisas mais importantes é a questão ambiental, e isso
envolve diretamente todas as pessoas. Se os pesquisadores,
engenheiros desenvolvem sistemas menos agressivos do ponto
de vista ambiental para produção de bens de consumo,
por exemplo, todos saem ganhando. Se cada pessoa
repensar seus hábitos todos saem ganhando.

Professora Margarete CasaGrande Lass Erbe

A terceira entrevistada para o projeto é a Professora Margarete. Confira a entrevista completa no link https://tinyurl.com/MargareteCasaGrandeLassErbe e o lattes da Professora no link: http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4772103P4

Engenheira Química formada pela UFPR.
Mestrado em Tecnologia (UTFPR).
Doutorado em Geologia Ambiental (UFPR).
Professora do DEQ UFPR desde 1983.

1. Quais matérias você ministra/ministou?

Avaliação de passivos ambientais, processos de combustão, projetos industriais,
química industrial, sistema de gestão ambiental, tratamento dos poluentes
atmosféricos.

2. Qual sua área de pesquisa e objetivo?

Uma de minhas pesquisas mais impactantes foi “a avaliação do risco da disposição de resíduo hospitalar em vala séptica”. Além deste marco também
realizei pesquisas nas áreas de gestão de resíduos hospitalares, riscos associados
à disposição de resíduos hospitalares, resíduos urbanos e industriais e
coprocessamento de resíduos (fornos de indústria do cimento).

3. Qual o diferencial na sua carreira?

Uma de minhas maiores realizações acadêmicas foi a participação em congressos
internacionais nos quais divulguei a pesquisa relacionada à gestão de resíduos
hospitalares, cujo um dos principais tópicos abordados era o perigo deste
material. Ademais, dentro da Universidade Federal do Paraná, quando
Coordenadora do programa de Pós-Graduação em Meio Ambiente Urbano e
Industrial (2012 a 2016), fui responsável pela renovação do Termo de Convênio com
a Universidade de Stuttgart – Alemanha e em 2015 este Termo foi expandido para a
Dupla Diplomação (PPGMAUI – UFPR e WASTE – USTTUT). Além do mais, como
engenheira química, tenho a possibilidade de contribuir para o desenvolvimento
do país, tanto na questão industrial, quanto na gestão pública.

4. Qual impacto social da sua pesquisa?

Ensinar nos propicia, além de divulgar o conhecimento,
participar de projetos inovadores que auxiliam na tomada
de decisões, tanto de cunho social, quanto empresarial.

Professor(a) ????????

 

Quem será o(a) próximo(a) entrevistado(a)? Fique de olho nas redes sociais do AIChE Curitiba para ler a próxima entrevista assim que for publicada!